God Save the Queen


Este site, fundado em
maio de 2003, é elaborado por
Marcelo Lefèvre,
com a colaboração de
Anderson "Cebolinha" Silveira, Arnaldo Marques Loureiro, Edson "Agnes Gold" Watanabe, Eduardo Garcia (EUA), Eduardo Silva, Felipe Passantino, Jaime Ballalai, Jô "Much Better" Garcia, Milton Blay (Paris), Milton "Giorgio Vergano" Moreno Garcia Jr., Nixon "Grimaldi" Mendonça, Roberto Carlos Micka, Sergio "Clackson" Christianini,
Samir Abujamra.

Patrocinadores:
 Coudelaria F.B.L., Haras Dilema, Haras Moema, Haras Regina, Stud 13 (Recife),
 Stud Casablanca, Stud Daltex, Stud Meyer, Stud Miss Kin, Stud Nicholas e Enrico Jarussi, Stud Romafi, Thomas Weda Spalding.


Se quiser receber esta coluna
Contato

 

PPR NO FACEBOOK

Para participar clique aqui 

                     
                   Edição especial - junho 2016                                                                                  
 

 
 


Pra matar as saudades

A quantidade de pedidos recebidos no último final de semana na Gávea para voltar com o PPR no formato tradicional, foi para mim motivo de muito orgulho. Desde os amigos de Pernambuco, até aqueles do Rio Grande do Sul, todos estão sentindo falta de nossas edições semanais, com temas musicais, curiosidades, moda, bonitas fotos, comentários políticos e futebol. Como ninguém sente falta do que lhe faz mal, prometi e decidi produzir uma edição especial para entrar no ar nesta sexta feita, inclusive também pela nossa página no facebook.

A continuidade ou não do PPR vai depender exclusivamente de negociações e tratativas que farei junto aos amigos e potenciais patrocinadores até o final de julho, lembrando que em quase 13 anos de vida nunca aceitamos, e continuaremos a não aceitar, anúncios de produtos veterinários e de firmas de leilões. 

"Tive que montar quatro corridas diferentes numa só, foi um pesadelo.
Ele é um cavalo de classe, e cavalos de classe ganham corridas."
(Ryan Moore, jóquei de Order of St George)

 

Tema Musical  

Abrimos esta Edição Especial do PPR com o mesmo artista que fechou nosso ciclo de 12 anos em dezembro de 2015, Djavan, desta feita interpretando de sua autoria Delírio dos Mortais, tema que evoca as belezas desta maravilhosa cidade do Rio de Janeiro, que sempre me emociona, e onde estive já por duas oportunidades neste ano, a primeira para o Latino e agora para o GP Brasil. Clicando aqui ouçam e curtam este bonito clipe, que obviamente não poderia deixar de incluir, entre suas imagens, o deslumbrante Jockey Club Brasileiro. 

Você sabia?

My Cherie Amour é um 4 anos castanho por Ay Caramba e Buy Me Love, por Jules, de criação e propriedade do Haras Doce Vale, vencedor do GP Brasil conduzido por W.S. Cardoso e treinado por V. Nahid.

My Cherie Amour é um clássico de 1969 da música norte-americana, composto por Stevie Wonder, em parceria com Sylvia Moy e Henry Cosby, escrita por Wonder em homenagem a sua namorada quando ele estudava numa escola para cegos em Michigan. Originalmente o tema tinha o título de Oh My Marsha, depois que o namoro terminou, o nome mudou para My Cherie Amour, ou Meu Querido Amor, em francês. Além do próprio autor, a canção foi gravada em vários idiomas e por diversos artistas, entre os quais The Jackson 5, Rod Stewart e George Benson. A deliciosa versão que escolhemos para esta edição é em francês, na voz da brasileira Eliane Elias. Clique aqui para ouvir.

As fotos abaixo de Karol Loureiro, mostram a arrancada de My Cherie Amour rumo ao disco no GP Brasil.
 








 

Moda Turfe 

Com o frio que já anda fazendo no sudeste e no sul, antes mesmo da chegada oficial do inverno, este elegante cachecol enfeitado por cavalinhos, a caneca para aquele chá ou café com leite, as blusas e luvas quentinhas, são excelentes pedidas para encarar a geladeira que vem por aí.
 





 

 

Brasil I 

A equipe do PPR esteve representada na Gávea pelo titular Marcelo Lefèvre e pelo popular repórter Argemiro do Bom Retiro, também conhecido como Passoca, que entusiasmado com a vitória de My Cherie Amour, resolveu ensaiar o tema em ritmo de moda caipira; Na foto abaixo vemos o sempre elegante turfista paulistano conhecido como "Véio Zuza", acompanhado da filha Luciana, que reside no Rio; Claudio Dargevitch, titular da Coudelaria FBL, acompanhado do mano Giba, curtiam alegres a festa de domingo, até Cleiton Xavier marcar o primeiro do Palmeiras no Alianz Parque; Silkely e o sãopaulino Ica, titulares dos Studs Daltex e Miss Kin, como sempre muito à vontade nas arquibancadas da Gávea; Os irmãos Carlos Henrique (atualmente montando na Alemanha) e Fausto Henrique, sempre prestigiando nosso Pega Pelo Rabo.
 










 

Brasil II 

O inseparável trio de turfistas amigos de Pernambuco, formado por Ricardo Maranhão, Silvio Botelho e pelo titular do Haras Depiguá, Carlos Baltar; Querido Dagoberto Midozi, vulgo Dagô, parceiro de jornadas francesas, em plena forma do alto de seus 99 anos; Treinador J.L. Aranha dando instruções para J. Ricardo, sob os olhares do titular do Stud Nova Glória, proprietário do potro Xabu, que infelizmente não atuou a contento; Marcelo Lefèvre, treinador D.T. Minetto, botafoguense Raul Carneiro, Claudio Dargevitch e seu treinador na Gávea G.F. Santos; Raul Carneiro com os filhos Giovanna e Marcelo.
 










 

Brasil III 

Quando olhei a primeira vez nas arquibancadas, achei que era vendedor de mate, mas não, era de chopp mesmo, aliás delicioso; Lu Andrade posando com admirador no novo espaço da PMU, onde fui muito bem atendido; Depois da sabatina, nada como uma boa picanha no Garota da Gávea para arrematar a jornada, Argemiro do Bom Retiro, que nunca foi muito chegado em carne, se esbaldou; Na domingueira, uma boa pedida foi degustar as delícias da culinária francesa no Le Petit Paris; Claudio Miragaia Perri, titular do Stud Nova República, Claudio Dargevitch e seu treinador G.F. Santos, e o gerente do Stud Jaguaretê, o corintiano João Gilberto Walder Nechar.
 










 

Brasil IV 

Abrindo a série a nova mamãe Josiane Gulart e sua linda filhinha Heloísa; Coloridas modelos desfilando e distribuindo sorrisos pela Gávea; Homenagem deste cronista ao já saudoso Stud Estrela Energia, de Stephan e Dalva Friborg; A sempre elegante Helen, esposa do amigo e turfman Sergio Barcellos; Nem só de beleza vive o turfe, na domingueira nobre a senhorinha sentou ao lado de Claudio Dargevitch e só trouxe azar para todos ao redor, ninguém acertou nada...
 









Pelos lados de Ascot 

As provas que mais aprecio no turfe são as de 2400 metros para cima, que são relativamente poucas em nosso pobre calendário. Na França, por ocasião do meeting do Arco, o Prix du Cadran na distância de 4000 metros é a minha preferida, certa vez lembro que chegaram três competidores no olho mecânico.

O hipódromo em Ascot foi inaugurado em 1711 e a Gold Cup é a mais tradicional de todas as provas corridas lá, na distância de duas milhas e meia, pouco mais de 4000 metros. Informa nosso colaborador Samir Abujamra que há no padoque de Ascot duas estátuas de cavalos: Frankel e Yeats, este último ganhador da Gold Cup quatro vezes, de 2006 a 2009 e recordista do número de vitórias na prova.

Este ano a prova ganha por Order of St George (Galileo (IRE) em Another Storm (USA), por Gone West (USA) foi uma homenagem ao aniversário de 90 anos da Rainha Elisabeth II, que como turfista fanática que sempre foi, compareceu e aparece à esquerda na foto que estampamos como tela de entrada desta edição.

Observem bem na foto abaixo o vencedor com seu jóquei Ryan Moore trajando farda azul e laranja em listas verticais. Order of St. Jorge foi favorito de 11/10, e seu piloto após o páreo declarou que não montou apenas 1 prova, montou 4 em 1.

Cliquem aqui e vejam como tudo aconteceu.
 

 

Cruzando na frente

A vitória da 4 anos Greenzapper (USA) do Haras Old Friends nos 2000 do GP Roberto e Nelson Grimaldi Seabra (G1), brilhantemente pilotada por Vagner Leal e treinada por Emerson Garcia, contou com a torcida deste cronista e de diversos turfistas de São Paulo que estiveram na Gávea. Para comemorá-la adequadamente, como faria o titular Julinho Camargo, nada como saborear um cachorro quente Geneal.
 




 

Um Café Por Uma Barbada

O catedrático chileno que indica para o PPR também é o entrevistado de Karol Loureiro no programa 1 Café por 1 Barbada, vamos conferir de o homem entende mesmo do riscado ou é apenas mais um palpiteiro. Confira tudo clicando aqui. 
 

As boas do CASH

Nosso indicador nesta edição especial é chileno Christian Arturo Soto Herrera, titular do site Turfe Global, cujas iniciais do nome formam a palavra CASH, que em inglês significa DINHEIRO VIVO. Portanto vale a pena anotar tudo que ele está indicando, porque numa dessas...

GÁVEA SEXTA FEIRA 17/06/2016

3º PÁREO 1400 areia. INDICAÇÕES: 4 – 8 – 6
CERTIDÃO debuta na gávea, amparado por uma ótima estréia no Tarumã, quando enfrentou The Butteler, atual líder da geração em Cidade Jardim e não fez feio. Acompanhava de perto a corrida até o final da curva, na entrada da reta sobrou um pouco e quando trocou de mão, veio novamente à carga e por pouco não formou a dupla, não estranhando, não será outro o vencedor. ESCANER, que correu bastante em sua primeira apresentação, melhor adaptado é um nome muito forte e certamente estará entre os primeiros. AMIGO A MORALES, finalmente correu melhor e repetindo esta atuação, poderá formar a trifeta. Citação ainda para AMERICAN, que vem correndo bem, embora acredite gostar mais da reta curta, mesmo assim, é bom nome para as quadrifetas.


6º PÁREO 1400 areia. INDICAÇÕES: 7 – 9 – 8
AMPLIFICADO, mais aliviado no peso, deve fazer o “train” desta prova e não sendo incomodado, pode figurar muito bem no final. Voltando a correr numa areia mais macia, RIO CID, vai aparecer com destaque na sua atropelada e no detalhe poderá ficar com a vitória. OLYMPIC EMIRATES, caindo ao claiming, também é um nome que deve ser temido. Dos demais, INSTANT DANCE, também por vez primeira em claiming, é o melhor azar da prova.

GÁVEA SÁBADO 18/06/2016

1º PÁREO 1000 grama. INDICAÇÕES: 3 – 10 – 9
Na prova de abertura da sabatina, GRAND TURK, de volta ao quilômetro gramado, onde quase venceu na estréia, é o nome a ser batido nesta competição. TO MONEY, no mesmo caso, retornando à relva, vai correr novamente com destaque, constituindo-se num rival de vulto. XELIM AUSTRÍACO, de régio pedigree e com retrospecto de luxo do Paraná, pode iniciar auspiciosamente a sua campanha na Gávea. Para as quadrifetas, o melhor nome é QUEBRA PAU.

6º PÁREO 1000 grama. INDICAÇÕES: 6 – 9 – 5
Páreo difícil e numeroso, aonde GOLDEN CROW vindo de duas excelentes corridas, a última inclusive numa prova especial, é um dos nomes mais imponentes desta prova. DEAR FAST, vindo de dois segundos consecutivos em provas mais alentadas, volta ao quilômetro, onde já disputou provas de grupo e neste detalhe é o maior adversário de quem quiser ganhar esta prova. ISTILLBELIEVE, anda correndo menos do que sabe e poderá reabilitar-se nesta ocasião. Como bom azar, a ligeirinha BUMBAI, que largando pelo menor caminho, poderá agradar-se do ritmo da prova.


GÁVEA DOMINGO 19/06/2016

3º PÁREO 1000 grama. INDICAÇÕES: 1 – 3 – 6
Pela sua última atuação, quando finalmente confirmou as expectativas, EXACT CHANGE, deverá abandonar a prova de perdedores nesta oportunidade, sendo umas das pules mais sólidas desta reunião. Para a dupla, KOSHER, que mesmo correndo na areia, acabou fazendo uma ótima estréia, agora na grama, deve correr com destaque e formar a dupla nesta prova. Como boa terceira força, OLYMPIC GREENLAND, que vem evoluindo a cada corrida.

10º PÁREO 1500 grama. INDICAÇÕES: 10 – 7 – 11
TANTOS SONHOS, que na última oportunidade foi inscrito em distância que nunca correra e se saiu até razoavelmente, tem nesta oportunidade, em distância menor, a chance de abandonar a turma de perdedores. Tem, em VERSUS VERDE, a cada dia melhorando de atuação e o veloz ENSORTABLE, sempre entre os primeiros, seus maiores rivais desta intrincada prova.

GÁVEA SEGUNDA 20/06/2016

2º PÁREO 1300 grama. INDICAÇÕES: 2 – 6 – 5
Embora tenha atuado somente uma vez na areia com certo destaque, HIPÓLOGO, com filiação que pede grama, deverá correr muito nesta oportunidade e poderá vencer sem susto. DÔME de volta à grama é o seu maior obstáculo. O veloz CARA DE PAU, que pode acabar fazendo o ritmo da prova e TAXI LUNAR, sempre entre os primeiros, são os outros nomes que devem ser considerados.

5º PÁREO 1400 grama. INDICAÇÕES: 5 – 4 – 6
De volta à grama e despencando para o claiming, MATEANDO, de bom retrospecto na turma é o nome a ser batido. QUANTA GRANA, de ótimo retrospecto e LITTLE LOTTE, atropelador por excelência, são os outros nomes de destaque. Das demais, LORENCE, muito regular, representa algum perigo.
 

Direto de Paris, por Milton Blay

Área 


A semana da imbecilidade humana
Viva o racismo, o antissemitismo, a islamofobia!


Nesta quinta-feira, 16, minha amiga Sonia Blota, jornalista da TV Bandeirantes, e Fernando Henrique de Oliveira, seu cinegrafista, foram agredidos por um grupo de pseudo-torcedores da Alemanha, em frente à Gare du Nord, a estação ferroviária de onde saem os trens para o Stade de France. Sonia queria entrevistar torcedores poloneses e alemães para ilustrar uma matéria sobre o jogo da Eurocopa. Mas por volta das 4 e meia da tarde, um grupo de 50 alemães se aproximou aos gritos: "Get out niggars"! (Fora daqui crioulos!) Ela recebeu um chute, ele um tapa na cara. - A dor não é física, dói na alma; comentaram.

Nesta mesma quinta, a deputada britânica Jo Cox era abatida a tiros e punhaladas na cidade de Birstall, perto de Leeds, norte da Inglaterra. Seu agressor teria gritado "Reino Unido primeiro!", o lema da ultradireita, que faz campanha contra a imigração e pela saída do Reino Unido da União Europeia. Jo Cox era deputada trabalhista, militava pela permanência da Grã-Bretanha no bloco europeu e cometera a imprudência de atuar a favor de um tratamento humano dos imigrantes. O suspeito de matar a deputada britânica seria um "partidário incondicional" do grupo neonazista Aliança Nacional, baseado nos Estados Unidos, que defende a criação de uma Nação exclusivamente branca e a erradicação do povo judeu.

Na segunda-feira à noite, não muito longe de Paris, um homem, que horas antes prestou juramento ao Estado Islâmico, matou um casal de policiais na frente do filho, uma criança de 3 anos. Num vídeo postado no dia seguinte pelo grupo jihadista, o assassino dizia: "Graças a Alá, acabo de matar um policial e sua mulher", antes de prometer ensanguentar a Eurocopa. O terrorista também enviou uma mensagem às autoridades francesas: "Vocês fecharam as portas da emigração para as terras do califado, portanto, nós abrimos a porta da jihad no seu território". No vídeo, o Estado Islâmico convocava os muçulmanos franceses a atacar os políticos, policiais, agentes penitenciários e jornalistas, por terem "vendido a religião, traído Alá e seu profeta". Isso aconteceu horas depois do terrível ataque contra uma boate gay de Orlando, na Florida, que deixou 49 mortos e 50 feridos. Um crime abominável, justificado pelo ódio aos homossexuais por parte do islã.

Nas ruas de Marselha, hooligans ingleses e russos se degladiavam, após um combate machista para ver quem conseguia engolir a maior quantidade de cervejas. Um torcedor está entre a vida e a morte. Os russos que atravessaram milhares de quilômetros, nem sequer assistem os jogos; vieram treinados, exclusivamente para brigar.

Enquanto isso, em Paris, centenas de black bocs, à frente de uma passeata contra a reforma da lei trabalhista depredavam um hospital para crianças.

O que alhos tem a ver com bugalhos? Esses fatos (poderíamos citar outros tantos) quase simultâneos, quando colocados em perspectiva deixam a nu a imbecilidade humana. Parece até que está na moda liberar os instintos mais bestiais; não temos mais freios nem portanto limites. Nos dividimos, ao invés de nos unirmos. Somos incapazes até de nos indignar. Estamos num vale-tudo planetário, do qual se aproveitam os populistas, de esquerda como de direita, que em nome do medo do outro, eterno bode expiatório, propõem a construção de muros. Assim agem os fascistas de todos os campos, como Marine Le Pen, que em plena tormenta conseguiu tempo para ir dançar a valsa vienense com os seus amigos austríacos, que perderam a presidência por um punhado de votos. Le Pen está feliz, o futuro lhe sorri.

Na vizinha e rica Alemanha, a metade da população diz que não se sente mais em seu país por causa dos muçulmanos. 25% acham que falta um líder, um führer, e desejam um partido único que encarne a "comunidade popular", um conceito herdado da doutrina nazista.

Somos incapazes de aprender as lições do passado.


Correspondente em Paris há 35 anos, Milton Blay, autor do livro "Direto de Paris, Coq au Vin com Feijoada" pode ser ouvido em boletins diários nas rádios BandNews FM e Bandeirantes AM.  

 

Futebol

Vou apenas dar meus palpites sobre os quatro torneios em andamento: Eurocopa, Copa América, Libertadores e Brasileirão.

Sobre a Euro, eu apostaria que a França, dona da casa, estará na final, o adversário deixo para vocês escolherem.

Sobre a América, acho que a seleção campeã sairá do trio Colombia, Argentina e México, gosto nesta ordem inclusive.

Sobre a Libertadores, se o SPFC passar pelo Atletico Nacional tem enorme chance de ganhar o torneio, se não passar ganham os colombianos mesmo.

Sobre o Brasileirão, estarão na disputa pelo G4 2 times gaúchos, 3 paulistas Palmeiras, Santos e São Paulo (Corinthians sem Tite não acredito) e 1 carioca (Fluminense). Nada de mineiros, paranaenses e outros. Barbadas para o rebaixamento são Botafogo e América Mineiro, os outros dois sairão do Paraná, Pernambuco, Bahia ou Sta. Catarina.

N. da R.: Um absurdo o COI homenagear Pelé com a Ordem Olímpica. O turfista e sãopaulino Ademar Ferreira da Silva deve estar se revirando o caixão.








 

 

Santos

Este ano, se não perder Lucas Lima e Gabigol na janela, pode chegar brigando por uma vaga no G4, se perder chega entre os dez primeiros. Na próxima rodada enfrenta o Atlético Paranaense fora, um empate é bom resultado.
 

Palmeiras

Não acredito que brigue para ser campeão, mas pode chegar na quadrifeta do Brasileiro. Deve ganhar sem problemas do Santa Cruz no Allianz.
 

São Paulo

Mesma opinião acima, porém se sagrar-se campeão da Libertadores não chega na quadrifeta do Brasileiro, mas estará entre os 10 primeiros. Contra o Flamengo, se jogar completo domingo, pode ganhar. Se jogar Kardec, o empate está de bom tamanho
 

 

Corinthians

Sem Tite o Timão deve brigar pela Copa do Brasil ou tentar uma vaga na Sulamericana, nada mais do que isso. Se empatar ou perder para o Botafogo nesta rodada, a torcida invadirá o campo.
 


 

 


Apoio produção do Pega Pelo Rabo:

MARCELO LEFÈVRE
Consultor em RH

Currículos, entrevistas e seleção de profissionais


Apoio divulgação do Pega Pelo Rabo:


O ponto de encontro da inteligência com a sensibilidade.