Este site, fundado em maio de 2003, é elaborado por Marcelo Lefèvre, com a colaboração de Anderson "Cebolinha" Silveira, Arnaldo Marques Loureiro, Arthur Tolentino, Edson "Agnes Gold" Watanabe, Eduardo Bechara, Eduardo Garcia (EUA), Eduardo Silva, Felipe Passantino, Jaime Ballalai, Jô "Much Better" Garcia, Marco Antonio Vilalba, Milton Blay (Paris), Milton "Giorgio Vergano" Moreno Garcia Jr., Nixon "Grimaldi" Mendonça, Roberto Carlos Micka, Sergio "Clackson" Christianini, Samir Abujamra.

 

Se quiser receber esta coluna
Contato

 

PPR NO FACEBOOK

Para participar clique aqui 

                     
Edição mensal - AGOSTO 2017                                                                                  
 

 
 

 

MUDANÇA DE HÁBITOS

 

Neste mês o PPR, em seu novo formato mensal, completa 1 ano.

Dias atrás, meu amigo e nosso editorialista Jaime Ballalai confessou estar saudoso daqueles tempos em que o Pega Pelo Rabo era semanal.

Respondi que também eu estava saudoso das 3 reuniões semanais em Cidade Jardim, das carreiras, festas, páreo balada e churrascos no Tarumã, do Cristal, Madalena, Lagoinha e Gávea.

Os tempos mudaram, e infelizmente para pior, hoje eu não teria notícias, mas sim muita dor da cabeça para produzir 4 edições mensais do PPR, esta é a triste realidade.

Nos últimos tempos me dediquei a acompanhar mais de perto, e jogar, é claro, nas corridas francesas, via PMU Brasil, e recentemente troquei pelas inglêsas, irlandesas e australianas, via SuAposta.

Diversas vezes me flagrei pensando o que deve passar pela cabeça dos jóqueis brasileiros que hoje fazem sucesso no exterior, desde a Argentina, passando pelos EUA, Europa e Ásia, quando eles vêm por aqui no período de férias. Penso especialmente em Silvestre de Souza, ídolo e campeão das estatísticas no Reino Unido, bem como também em João Moreira e no 'viajante' Fausto Henrique, que certamente já se acostumaram com o turfe de primeiro mundo, onde simplesmente tudo funciona.

Esta semana estive jantando com os amigos Eduardo 'El Sheik' Bechara e Jorge Castro, que não via há algum tempo. Ambos agora acompanham e jogam no trote francês.

Dias atrás apostei uns trocados numa barbada do Haras Dilema chamada Perdonada. Acertei a ponta e também a exata, boas pules, sendo que a exata rateou em números redondos algo como 20/1, pela pedra da Gávea. Sabem quanto a mesma exata pagou pela pedra de São Paulo? 200/1.

Realmente, assim fica difícil...

 E finalizando como de hábito, lembro que não deixem de acessar a página do PPR no Facebook.

 

'A espécie de felicidade de que preciso não é fazer
o que quero, mas não fazer o que não quero.'

(Jean-Jacques Rousseau)

 

Tema Musical  

Já no 'esquenta' para o Arco em outubro, apresentamos nesta edição Cyrílle Aímeé, uma linda jovem de grande destaque e sucesso no jazz francês prestes a completar 33 anos, nascida na pequena Samois-sur-Seine, próxima de Fontainebleau, filha de pai francês e mãe Dominicana. Com oito álbuns já gravados Cyrílle aos 23 anos ganhou o Montreux Jazz Festival em 2007, cinco anos depois também o Sarah Vaughan International Jazz Competition, além de ter sido finalista no Thelonious Monk International Jazz Competition em 2010. De seu vasto repertório (incluindo diversas canções brasileiras como Dindi, Samba em Prelúdio, Felicidade e Morena Boca de Ouro), selecionamos um tema em inglês chamado It's a Good Day (É um Bom Dia) que vocês ouvirão clicando em tema musical, e outro em francês de nome Nuit Blanche (Noite Branca), que vocês curtirão clicando aqui


 


 

Você Sabia?

Ulysses é um 4 anos irlandês filho de Galileo (IRE) em Light Shift (USA), por Kingmambo (USA), criação e propriedade de Flaxman Stables Ireland Ltd e ganhador de 4 provas em 10 saídas (1 G1 e 2 G3), treinado por Sir Michael Stoute e já pilotado por T. E. Durcan, R. Moore, L. Dettori, A. Alzeni e J. Crowley, com quem venceu em sua última apresentação em 8/7 o Coral-Eclipse (G1) em Sandown, cuja reta final vocês poderão acompanhar clicando aqui . Ulysses é um dos favoritos do King George & Queen Elizabeth Stakes (G1) que será disputado neste sábado 29/7 em Ascot (vejam campo da prova na nota Pelo mundo do turfe II).

Um homem sai de casa pela manhã, cumpre com as tarefas do dia e, pela noite, retorna ao lar. Foi em torno desse esqueleto enganosamente simples, quase banal, que o irlandês James Joyce (1882-1941) escreveu Ulysses, que veio a ser o grande romance do século XX.

Inspirado na Odisseia de Homero e ambientado em Dublin, a história narra as aventuras de Leopold Bloom e seu amigo Stephen Dedalus ao longo do dia 16 de junho de 1904. Tal como o Ulisses homérico, Bloom precisa superar numerosos obstáculos e tentações até retornar ao apartamento na rua Eccles, onde sua mulher, Molly, o espera. Para criar esse personagem rico e vibrante, Joyce misturou numerosos estilos e referências culturais, num caleidoscópio de vozes que tem desafiado gerações de leitores e estudiosos ao redor do mundo.

O culto em torno de Ulysses teve início antes mesmo de sua publicação em livro, quando trechos do romance começaram a aparecer num jornal literário dos EUA. Por conta dessas passagens, o livro foi banido nos Estados Unidos, numa acusação de obscenidade, dando início a uma longa pendenga legal, que seria resolvida apenas onze anos depois, com a liberação do romance em solo americano.

Mas, para além das disputas e polêmicas, Ulysses segue como um divisor de águas por conta do êxito do autor no principal ponto do romance: esticar e moldar a língua inglesa ao limite, a fim de retirar disso um retrato fiel, divertido e comovente do que se convencionou chamar de o "homem moderno". 




 


 

Moda Turfe 

Marilena, Vivian, Andréa, Maria Zelia, Victoria, Josiane, Gabriela, Cristina, Subeida, Karol, Faby, Dailey, Daiane, Silkeli, Juliana, Jeane e Beatriz, entre tantas outras, são mulheres que amam cavalos de corrida e corridas de cavalos. Esta seção Moda Turfe de agosto, apenas com jóias, homenageia todas elas. Com  a facilidade hoje em dia de se comprar quase tudo pela internet, os maridos, namorados, pais, avós, filhos e amigos deveriam aproveitar e presentar suas queridas, garanto que elas ficarão muito felizes e jamais esquecerão. 

 








 





 


 

Pelo mundo do turfe I

Enquanto os haras brasileiros são obrigados a fazer conta de tostões, nossos vizinhos da America do Sul investem pesado. Há pouco chegou ao Haras Sumaya, no Chile, o garanhão California Chrome, que foi arrendado pela temporada. Esse filho de Lucky Pulpit ganhou o Kentucky Derby, o Preakness Stakes e a Dubai World Cup, somando um total de US$14.750.000 em premios, tendo sido o Cavalo do Ano nos Estados Unidos em 2014 e 2016. O preço da cobertura ainda não foi divulgado.
  


 

Pelo mundo do turfe II

Sixties Song (Sixties Icon/GB), o primeiro cavalo argentino a participar do King George & Queen Elizabeth Stakes (G1) já está pronto para a carreira, que será disputada no hipódromo de Ascot no sábado, com largada às 11:35 horário de Brasília. Seu jóquei será Gerard Mosse e ele está cotado a 50/1. A carreira é muito equilibrada, mas o treinador Alfredo Gaitan Dassié informa que o craque está em ótima forma. A viagem de Sixties Song de San Isidro a Newmarket levou 20 horas e o cavalo chegou em perfeitas condições. Os favoritos da prova são a égua Enable (Nathaniel/IRE) 11/10, Highland Reel (Galileo/IRE) 4/1, Jack Hobbs (Halling/USA) 5/1 e Ulysses (Galileo/IRE) 15/2. O jóquei Silvestre de Souza monta Hawk Bill (Kitten's Joy/USA) 16/1. Cliquem aqui e vejam o campo completo da prova. (A primeira foto abaixo é de Gustavo Duprat).
 




 

Apenas lembranças

O Facebook está sempre nos ajudando a recordar de fatos e de amigos, hoje mesmo dei de cara com a foto abaixo, publicada há 4 anos. Nada de muito especial, apenas a mesa da minha cozinha, onde faço as refeições, com o prato que preparei para aquele dia, moela ensopada com arroz e batatas, acompanhada de uma cervejinha bem gelada, do tradicional Tabasco, e da Revista Turf Brasil com a caneta do Mabu de Curitiba. Por que na ocasião publiquei esta foto na minha página? Não faço a menor ideia.


 

Coisas do Brasil

Este nosso País chamado Brasil está cada dia menos sério, só rindo mesmo para não chorar. Espero que as charges desta edição divirtam pelo menos um pouquinho nossos amáveis leitores.


















 

Direto de Paris

Área 


É sempre a mesma história do copo d'água meio cheio ou meio vazio, dependendo de quem bebe.

 

As ramificações do escândalo de corrupção envolvendo a construtora brasileira Odebrecht continuam dando o que falar fora do Brasil. No Peru por exemplo, principalmente após a prisão do ex-presidente Ollanta Humala e de sua mulher, Nadine Heredia, acusados de terem se beneficiado do financiamento ilegal da campanha eleitoral em 2011. A Odebrecht e outras empresas locais assinaram vários contratos superfaturados no país, com muita propina correndo solta para ganhar as licitações públicas.

O envolvimento de Humala é apenas a ponta do iceberg. Praticamente todos os presidentes desde a queda de Alberto Fujimori, em 2000, são atingidos pelos escândalos. Dentre eles Alejandro Toledo, chefe de Estado entre 2000 e 2006, que já foi indiciado e está foragido nos Estados Unidos.

Nem o atual presidente, Pedro Pablo Kuczynski, escapa. Ele foi ministro das Finanças e depois primeiro-ministro de Humala, o que pode fazer com que as acusações respinguem nele.

A Justiça peruana está agindo de forma acelerada para investigar como os esquemas da Odebrecht operavam na vida política do país. Até há pouco, o Peru era tido como um exemplo, aplaudido pelos seus altos índices de crescimento.

Numa matéria recente, o jornal Le Monde lembrava que o Peru não é o único país envolvido no escândalo da Odebrecht. Mais de dez países latino-americanos e africanos estariam envolvidos.

Juan Manuel Santos da Colômbia está sendo investigado, junto com o ex-presidente Uribe. Na Argentina, o presidente Macri e a ex-presidente Cristina Kirchner estão sob suspeita. Isso sem falar em ministros, governadores, deputados que vêem o sol nascer quadrado.

Como diz meu amigo Alfredo Valadão, professor da Sciences Po, de Paris, "a vida política latino-americana está sendo pautada pelo poder judiciário."

Ele aplaude e comenta: "A América Latina está dando show de independência da justiça. E esse ativismo judicial é o primeiro passo para finalmente construir, no subcontinente, um verdadeiro Estado de Direito."

Valadão é daqueles que vêem o copo meio cheio.

Mas (e os mas são muitos) as cruzadas anticorrupção também podem ter efeitos nefastos. Poderíamos lembrar o exemplo italiano. A operação Manu Pulite, Mãos Limpas, levada a cabo pelos juízes italianos contra as conexões entre a máfia e os políticos, acabou com os velhos partidos corruptos (Democracia-Cristã, Socialista, entre outros) no entanto abriu caminho para o magnata populista Silvio Berlusconi e suas festas bunga-bunga. Pior a emenda que o soneto? Difícil dizer. A única certeza é que a corrupção não acabou e que as relações entre as máfias e a política sobreviveram.

De qualquer maneira, fundamental é a separação de poderes, sem o que não há Estado de Direito e a democracia é meramente teórica.

Vemos no Brasil o quanto essa questão é complicada. Políticos acusam os magistrados de todos os males, enquanto muitos juízes não se limitam ao seu papel, opinando sobre tudo e todos, de preferência diante das câmeras, que dão muito mais Ibope que falar nos autos.
 


Correspondente em Paris há 36 anos, Milton Blay, autor do livro "Direto de Paris, Coq au Vin com Feijoada" pode ser ouvido em boletins diários nas rádios BandNews FM e Bandeirantes M.


 

Futebol

Começando pela Libertadores e tendo em vista os resultados dos times brasileiros nos confrontos de ida das oitavas de final, as situações mais difíceis de reverter são, pela ordem, a do Atletico (PR) que perdeu em casa por 2x3 do Santos, depois a do Palmeiras que foi derrotado pelo Barcelona em Guaiaquil por 1x0, e do Galo (MG) que perdeu do Jorge Wilstermann na Bolivia por 1x0. Isto não significa que Grêmio e Botafogo que ganharam pelo placar mínimo jogando fora de casa de casa respectivamente de Godoy Cruz da Argentina e Nacional do Uruguai tenham missão tranquila, porque em se tratando de Libertadores nada é tranquilo. Continuo achando que o Grêmio será o brasileiro que irá  mais longe, e o River Plate deverá pagar placê, ou seja, estará na final. Aguardemos pois.

Pela Copa Sul-Americana todos os brasileiros passaram da segunda fase para as oitavas, agora o Corinthians enfrentará o Racing da Argentina em confronto imprevisível (obviamente sou Racing), o Sport disputará com a Ponte Preta (sou Sport), o Flamengo deverá eliminar a Chape, e o péssimo time do Fluminense terá pela frente o vencedor do duelo LDU x Bolívar (deverá perder para qualquer dos dois). Dos brasileiros acredito que o Flamengo vai mais longe e o Independiente (ARG) estará na final. 

Sobre a Copa do Brasil surprendentemente o Botafogo eliminou o Atlético MG, mas será eliminado nas semifinais pelo Flamengo, que eliminou o Santos. No outro duelo se enfrentarão Grêmio e Cruzeiro, devem passar os gaúchos, que acredito serão os campeões.

Finalizando, sobre o Brasileiro Série A o Corinthians segue ainda com folga (8 pontos) sobre o Grêmio, com Santos, Flamengo e Palmeiras a seguir, na ZR a surpresa é o São Paulo, no momento em 18º lugar. Pela Série B lidera o América (MG), seguido do Guarani, Juventude e a duras penas em 4º lugar o Internacional, que corre sério risco de não voltar para a primeira divisão em 2018, na ZR a surpresa é o Figueirense, também em 18º. Ambos os torneios ainda não chegaram ao final do 1º turno.

 




 

Santos

Não acerto uma com o Santos, achei que seria eliminado pelo Furacão na Libertadores e deve passar, mas no Brasileirão ainda acho que lutará apenas por uma vaga no G6, mas de repente ganha o torneio. 

Palmeiras

Como já havia afirmado, o Verdão caiu diante do Cruzeiro na Copa do Brasil, e corre sério risco de ficar no caminho na Libertadores diante dos equatorianos do Barcelona, se sso ocorrer o Prof. Cuca será demitido. Pelo Brasileirão eu dizia que tudo iria depender dos três próximos confrontos, contra Grêmio e Corinthians em seu campo, e contra o Cruzeiro fora, se destes 9 pontos conseguisse pelo menos 6, continuaria lutando pelo título. Conseguiu apenas 3, portanto brigará por uma vaga no G6, nada mais.

Corinthians

Mais uma vez a Rede Globo preferiu transmitir para São Paulo o jogo Corinthians x Patriotas, deixando de lado os confrontos da volta da Copa do Brasil Cruzeiro 1x1 Palmeiras e Santos 4x2 Flamengo, duas ótimas partidas. Infelizmente os colombianos do Patriotas não foram capazes de repetir a inesquecível façanha do co-irmão Tolima, mas deram um belo sufoco no Timão em plena Arena BNDES. Pelo Brasileiro, ainda na liderança, o Timão enfrentará em casa o Flamengo na próxima rodada, acho que dará Mengo, gol de Paolo Guerrero.
 

São Paulo

Ainda lutando para sair da ZR, o São Paulo conseguiu na última rodada um bom empate 1x1 contra o forte Grêmio, atraindo para o Morumbi em plena 2ª feira 51.551 torcedores, o maior público do Brasileiro até o momento. No dia seguinte, o O Estado de S. Paulo em seu Caderno de Esportes, estampa a estúpida manchete São Paulo vive fase de 'time do povo', justificando este recorde graças apenas ao preço baixo dos ingressos, como se o Tricolor não fosse o clube com a terceira maior torcida do Brasil. Certamente os três 'jornalistas' que assinaram a matéria, cujos nomes não merecem ser aqui citados, devem vestir aquela outra camisa, como alías a maioria da 'classe'.

Já o mesmo veículo, em sua edição de 5ª feira dá sobre o São Paulo a manchete Após um mês, clube 'rompe' com era Ceni, comentando que agora a presença de familiares dos jogadores nos treinos, que não era bem vista pelo ex-treinador que não queria que os jogadores perdessem o foco nos treinos, voltou a ser liberada.  Além disso, informa que profissionais de diversas áreas que tinham estreita ligação com Ceni foram demitidos.

O São Paulo não será rebaixado com Dorival Junior de técnico, como não seria com Rogério Ceni, porém esta atual diretoria é a pior que o clube já teve em toda sua gloriosa história, sobre isso não paira a menor dúvida. Um dia, que espero seja breve, estaremos livres desta incompetente e vergonhosa cartolagem. E podem anotar, o MITO voltará.

 


Apoio produção do Pega Pelo Rabo:

MARCELO LEFÈVRE
Consultor em RH

Currículos, entrevistas e seleção de  profissionais


Apoio divulgação do Pega Pelo Rabo:


O ponto de encontro da inteligência com a sensibilidade.