Este site, fundado em maio de 2003, é elaborado por Marcelo Lefèvre, com a colaboração de Anderson "Cebolinha" Silveira, Arnaldo Marques Loureiro, Arthur Tolentino, Edson "Agnes Gold" Watanabe, Eduardo Bechara, Eduardo Garcia (EUA), Eduardo Silva, Felipe Passantino, Jaime Ballalai, Jô "Much Better" Garcia, Marco Antonio Vilalba, Milton Blay (Paris), Milton "Giorgio Vergano" Moreno Garcia Jr., Nixon "Grimaldi" Mendonça, Roberto Carlos Micka, Sergio "Clackson" Christianini, Samir Abujamra.

 

Se quiser receber esta coluna
Contato

 

PPR NO FACEBOOK

Para participar clique aqui 

                     
Edição mensal - JUNHO 2017                                                                                  
 

 
 

 

GP BRASIL 2017

 

Para quem ainda não sabe, minha área de atuação profissional é Recursos Humanos desde que me formei pela FGV em 1975, são mais de 40 anos de experiência.

Tempos atrás, quando afirmei que o Jockey Club de São Paulo com mais de 600 empregados era absolutamente inviável, me chamavam (principalmente os empregados, mas não só eles) de pessimista, pé-frio, derrotista, até de terrorista. Nesta 6ª feira, 2 de junho de 2017, abro o jornal O Estado de S. Paulo, coluna Direto Da Fonte de Sonia Racy, e leio: Quatro patas - Hoje tem encontro do pessoal do Jockey com João Dória. Buscam uma forma de ajuste de contas e de alinhar o uso dos espaços aos interesses dos sócios e às atividades do clube. A nova gestão já cortou praticamente um terço da folha de pagamentos, buscando equilíbrio operacional. E o Jockey voltou a pagar prêmios. Baixando valores.

Estou razoavelmente otimista e já me manifestei neste sentido quando senti o clima no GP São Paulo, isto porque, ao contrário do que ocorre no Brasil, em São Paulo ainda existem uns poucos politicos sérios, honestos e competentes, caso do prefeito João Dória, e também porque hoje o Jockey Club de São Paulo é dirigido por um verdadeiro empresário, auxiliado por verdadeiros turfistas. É óbvio que a depressão do País nos últimos anos atrapalha, e muito, mas acredito que não demora o JCSP se levanta, enquanto o Brasil se afunda mais e mais.

  O Jockey Club Brasileiro hoje é um oásis no Brasil, graças principalmente à parceria firmada com a PMU, que tomara prossiga conforme os planos originamente traçados.

 E tudo indica que GP Brasil 2017 será uma linda prova, e para mim mais uma oportunidade, tomara que não a última, de rever os amigos de todo o Brasil que amam o Turfe, e de fazer novos, como sempre. Na seção Você Sabia revelo meu favorito, aliás, favorita.

Finalizando, quero agradecer de público ao meu colaborador e webdesigner Eduardo Silva por mais uma vez produzir esta belíssima tela de abertura da edição, bem como também diversos banners que voltam ao PPR e confirmam a qualidade do trabalho deste ótimo profissional. Quem puder contratá-lo, garanto que estará muito bem servido, seu telefone para contatos é 11 97366-7373.

Ainda sobre o GP São Paulo, quem não teve a oportunidade de assistir o Programa Amaury Junior na TV, clique aqui e divirta-se. Se você for do tipo apressadinho, recomendo assistir do minuto 9 ao 16.

E finalizando como de hábito, lembro que não deixem de acessar a página do PPR no Facebook.

  

'Existem duas maneiras de ser feliz nesta vida, uma é fazer-se de idiota e a outra sê-lo.'
 

(Sigmund Freud)

 

Tema Musical  

Diana (Ariadne) Panton nasceu em Hamilton, Ontario, Canadá. Vocalista de jazz, descoberta pelo multi-instrumentista Don Thompson, foi indicada mais de uma vez ao Prêmio Juno, um dos mais conceituados em seu país. Em 2012 a indicação surgiu de um CD por ela gravado em homenagem à música brasileira com o título "To Brazil With Love". Nele, Diana fez várias versões para alguns dos nossos clássicos, dentre eles Eu Se Que Vou Te Amar, Corcovado e Samba da Benção. Graduada em Literatura Francesa, também estudou arte na Escola Parsons em Paris, tornando-se professora na Escola Secundária de Westdale, de Hamilton. 

Para esta edição selecionamos dois temas do álbum mencionado acima, o primeiro, em inglês, é The Telephone Song ou Telefone, hit da bossa nova de autoria de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli, gravado, entre outros, por Sylvinha Telles e Lúcio Alves, Wilson Simonal, Wanda Sá, Agostinho dos Santos, Nara Leão, Elis e Os Cariocas, que vocês ouvirão clicando aqui  O segundo, em francêsTu Sais Je Vais T'aimer ou Eu Sei Que Vou Te Amar, de Tom e Vinicius, gravado, entre outros, por Adriana Calcanhoto, Ana Carolina, Eliseth Cardoso, Tim Maia, Roberto Carlos, Caetano Veloso e Maysa, que vocês ouvirão clicando acima em tema musical. (Colaborou Jô 'Much Better' Garcia)


 


 

Você Sabia?

No Regrets é uma 3 anos castanha filha de Fluke e Buy My Love, por Jules, de criação e propriedade do Haras Doce Vale, tríplice coroada carioca e vencedora de 5 provas de grupo em 6 saídas, que levará minha torcida e alguns trocados no GP Brasil, pilotada por W.S. Cardoso, com treinamento a cargo de V. Nahid.

No Regrets (Sem Arrependimento) é um dos grandes sucessos de Robbie Willians, tema de seu segundo álbum de estúdio lançado em 1988 de nome I've Been Expecting You. Robert Peter "Robbie" Williams (1974) é um cantor e compositor britânico que está na lista dos 10 mais bem-sucedidos do mundo da Revista Rolling Stones de 2016, sendo o maior vencedor de Brit Awards (o maior prêmio da música do Reino Unido) de toda a história até aqui. Membro mais consagrado do grupo pop Take That entre 1990 e 1995 e novamente de 2009 a 2012, já vendeu mais de 75 milhões de discos em todo o mundo, tornando-se o artista solo britânico mais vendido no Reino Unido e o artista não-latino mais vendido na América Latina. Seis de seus álbuns estão entre os 100 melhores álbuns mais vendidos no Reino Unido, e em 2006 entrou para o Guinness de recordes mundiais pela venda de 1,6 milhões de bilhetes de sua turnê Close Encounters Tour em um único dia. Cliquem aqui e ouçam No Regrets.

 





 


 

Moda Turfe 

Pelo menos nós paulistas, bem como os irmãos paranaenses, catarinenses e gaúchos, já estamos sentindo neste outono que o inverno virá forte este ano, portanto nada melhor do que nos prevenirmos para encará-lo com coragem e roupas quentes, como as bonitas e originais peças que apresentamos abaixo. Destaque especial para as luvas e o gorro que apresenta três cavalos, um de obstáculos, outro de trote, e o terceiro de corrida.













 


 

Pelo mundo do turfe I

O proprietário do ganhador do Derby de Epsom a ser disputadoneste sábado 3 de junho receberá o prêmio equivalente a US$1,200,000 e a gloria de haver vencido a maior prova para produtos de 3 anos da Inglaterra. São 19 competidores todos treinados na Inglaterra ou Irlanda, dos quais dois pagaram a taxa suplementar de 85,000 libras (pouco mais de US$110,000) para poderem participar. Dividem o favoritismo Cliffs of Moher (Galileo) treinado por A. O'Obrien, e Cracksman (Frankel) treinado por J. Gosden. Ambos estão cotados a 4/1 e serão dirigidos por Ryan Moore e Frankie Dettori respectivamente. Outro concorrente bem apostado é Eminent (Frankel), cotado a 7/1, enquanto a montaria de Silvestre de Souza, Pealer (Campanologist), é o maior azar do páreo, a 100/1. Há previsão de chuvas isoladas, que poderão deixar a pista macia, e a partida está marcada para as 12:30 hs (horário brasileiro).

Cliquem sobre os nomes dos três favoritos e acompanhem suas últimas exibições. 

Pelo mundo do turfe II

Abaixo a mensagem que recebemos da nossa leitora alemã Khatarina Dietrich, seguido da devida tradução.

Grüße aus Deutschland!

Sehr geehrte Herr Lefevre!

Ich hoffe, dass Ihnen gut geht!
Ich sende Ihnen neue Bilder von mir...
In Dresden, 6. Mai 2017 bei Hutwettbewerb habe ich 1. Platz gemacht.

Ich wünsche Ihnen Gesundheit, alles anderes kommt zu Ihnen von alleine.

Mit Respekt

Saudações desde a Alemanha!

Caro Sr. Lefèvre!

Espero que esteja bem. Estou mandando fotos minhas tiradas em Dresden em maio 2017, num concurso de chapéus. Ganhei o primeiro lugar

Eu desejo saúde, todo resto vem sozinho para você.

Com Respeito

Nossos parabéns para Khatarina, na certeza de que brevemente receberemos fotos suas desde Epson, ela que não perde um evento turfístico importante no mundo. A querida turfwoman paulista Marilena 'Papiluca' Prado é sua grande admiradora.

 

 


 






 





 

Turfista, enxadrista, e poeta...

A maioria dos apostadores em corridas de cavalos no Brasil conhece, ou no mínimo já ouviu falar ou apostou baseado nas indicações do catedrático Aron Antunes Correa, profundo estudioso do assunto. Porém nem todos sabem que Aron já foi Campeão Brasileiro de Xadrez em 1993, defendendo as cores do Esporte Clube Pinheiros (que o patrocinava e onde dava aulas), e que por apenas 15 pontos não alcançou os 2400 no rating para tornar-se Mestre Internacional, deixando o xadrez em 1995. O que poucos sequer desconfiam, é que, além do turfe e do tabuleiro, ele também escreve poesias, como estes versos que publicou recentemente em sua página no Facebook e que me chamaram verdadeiramente a atenção, são muito bonitos.
 

Escrever algo que marque o papel
Com leveza e profundidade
Dizer aquilo que sei já foi dito
Mas de uma maneira que seja só minha
Revez mais que complexo
Para uma alma destreinada
A reconhecer o belo.
Fazer brotar da sentença
O lirismo, a ternura e o desejo
De uma forma tão avassaladora
Que o simples mencionar da palavra amor
Provoque naquele que lê
Sensações simultâneas de paixão, carinho e ardor.
Fingir ser Pessoa
Ser gauche como Carlos
Me metamorfosear no passarinho de Quintana
E absorver chorando os versos
Mais tristes do meu querido Neruda.
Saber que a missão é impossível
Mas que a tentativa é facultada a todos
E de dentro do meu ser
Onde moram encerradas a ambição e a presunção
Libertar estas palavras em um sonoro
Por que, não?

 

Nas fotos abaixo vemos o 'Mestre' Aron por ocasião em um GP Paraná entre este cronista e o amigo Roberto Carlos Micka, e frente a um tabuleiro na disputa de um dos inúmeros torneios dos quais participou.







Incansável batalhadora

Ainda na esteira do tema amigos, esta nota é sobre nossa fiel e querida colega Karol Loureiro, jornalista e editora da Revista Turf Brasil, fotógrafa de G1, e uma apaixonada pelo Flamengo, pelos cavalos e pelas causas do turfe brasileiro, presente em todos os mais importantes eventos do esporte no País e na Américas, além daqueles relacionados ao cavalo árabe pelo mundo. Seu blog Cerca Movel e os programas 1 Café Por 1 Barbada (do qual já participei em duas oportunidades) e Falando de Turfe, são consagradas referências na área.  A propósito, e na proximidade de mais um GP Brasil, cliquem aqui e vejam o último Falando de Turfe, gravado no Centro de Treinamento Vale da Boa Esperança, onde Karol entrevista o treinador Ronaldo Marins Lima sobre as chances dos seus potros Emperor Roderic e Enólogo (foto abaixo), que defenderão as sedas do Haras Anderson na prova mais importante do nosso turfe, dia 11 na Gávea.

Confesso que jamais tive o pique e o otimismo de Karol Loureiro, nem quando tinha a idade dela, muito menos agora que já fiz a curva e entrei na reta final, que alguns hipócritas apelidaram de 'melhor idade'. Mas ainda acredito Karol, que um dia estaremos cobrindo juntos um Arco do Triunfo, em Paris, um espetáculo que você nunca viu igual.


 

Coisas do Brasil

Rindo para não chorar, é o que o Brasil vem nos provocando nos últimos anos, e o tema desta edição não poderia ser outro. Espero que o nosso eminente colaborador Dr. Samir Abujamra, apreciador de charges, goste destas que selecionamos.










 


 

Direto de Paris

Área 

Gozando merecidas férias em pleno verão na França, nosso colaborador Milton Blay voltará com a corda toda na próxima edição. Bom descanso parceiro, e não esqueça dos nossos bistrôs em outubro. Este ano, quem sabe possamos repetir aquelas horas agradaváveis que passamos juntos com Arthur Tolentino (foto), desta vez também na companhia do impagável violista Passoca, conhecido nos meios turfísticos como 'Argemiro do Bom Retiro'. 


Correspondente em Paris há 36 anos, Milton Blay, autor do livro "Direto de Paris, Coq au Vin com Feijoada" pode ser ouvido em boletins diários nas rádios BandNews FM e Bandeirantes M.

 


 

Esportes

Neste sábado às 15:30 os amantes do bom futebol estarão com as atenções voltadas para a partida do ano, a final da Liga dos Campeões entre Real Madrid e Juventus, e nossa torcida não poderia ser outra que não para a Vecchia Signora, isso por duas razões minhas e particulares. A primeira porque tenho um grande amigo catalão chamado Lluis Feliu Sbaffo, que além da ascendência italiana, é fanático torcedor do Barça e detesta mais o Madrid do que eu o Corinthians. A segunda porque não torço para time de ditadores, e o Real era o time do sanguinário Francisco Franco.

Em relação à Libertadores acertei achando que dos clubes de fora de SP passariam Botafogo, Atlético MG, Grêmio e Atlético PR, errei redondamente no Flamengo e acertei por tabela a Chapecoense, que classificaria no campo mas caiu fora no tapetão. Sobre os paulistas comento abaixo nas respectivas notas.

Sobre a Copa Sul-Americana os brasileiros que passaram para a segunda fase foram Corinthians, Ponte Preta, Sport e Fluminense, o São Paulo e o Cruzeiro caíram fora. São tantos os times ainda na disputa, que fica difícil dar um palpite nesta altura, apenas por simpatia torcerei pelo inesquecível Deportes Tolima.

Sobre a Copa do Brasil passaram quase todos os brasileiros que disputaram a Libertadores, com exceção da Chape que perdeu a vaga para o Cruzeiro. Para mim o campeão está entre o Galo e o Tricolor gaúcho.

Pelo torneio de Roland Garros, como era absolutamente previsível, os três brasileiros já embarcaram de volta, para decepção do nosso colaborador Jaime Ballalai Abreu, que se já estava em profunda depressão com a não aceitação de Maria Sharapova no torneio e as saudades de Guga, agora ficou mais ainda com a eliminação de seu ídolo Thomaz Bellucci. Minhas apostas são duas zebras, Milos Raonic no masculino e Garbiñe Muguruza (uma gracinha) no feminino.

 


 


 

Santos

Mudei de opinião em relação ao Santos, acho que será o brasileiro que irá mais longe na Libertadores, podendo até ganhar. No Brasileirão o 'Peixe' começou mal, está com apenas 1 vitória e 2 derrotas, tomara que se recupere na 4ª rodada. No final, lutará apenas por uma vaga na Liberta 2017. 

Palmeiras

Pelo Brasileirão o time começou como o Santos, ganhou 1 e perdeu 2, sendo que a derrota para o São Paulo no Morumbi, ratificando o tabu de 15 anos, abalou as estruturas. Se não ganhar do Atlético MG na próxima rodada e se for desclassificado como não foi apenas por milagre na Copa do Brasil contra o Internacional da série B, Cuca não terá vida longa no Palestra. Em relação à Libertadores, se for sorteado para enfrentar o Atlético PR na próxima fase, corre sério risco de já ser eliminado, se der outro adversário no sorteio, seguirá mais um pouco, até topar com outro brasileiro e cair fora de vez. Sobre a segunda foto abaixo, para quem não percebeu o detalhe, o bolso onde foi colocado Cuca é da calça jeans do Rogério Ceni.




 

Corinthians

Acertei que o Timão ganharia o Paulistão, e vai ficar por aí este ano. Na Copa do Brasil será eliminado, idem na Sul-Ámericana, e no Brasileirão tentará chegar na zona da Libertadores.

São Paulo

Desclassificado de forma bizarra na Sul-Americana com dois empates contra o Defensa Y Justicia, vai tentar chegar na zona de Libertadores no Brasileirão, mas pode sim vir a namorar com o rebaixamento se de fato negociar Luiz Araujo, Junior Tavares, Thiago e Rodrigo Caio na próxima janela. A vitória contra o Palmeiras para mim foi normalíssima, afinal era o absoluto retrospecto. O outra notícia boa da semana foi esta, clique aqui e saiba o que aconteceu.


 


Apoio produção do Pega Pelo Rabo:

MARCELO LEFÈVRE
Consultor em RH

Currículos, entrevistas e seleção de  profissionais


Apoio divulgação do Pega Pelo Rabo:


O ponto de encontro da inteligência com a sensibilidade.