A grande campeã Enable momentos antes da largada


Este site, fundado em maio de 2003, é elaborado por Marcelo Lefèvre, com a colaboração de Anderson "Cebolinha" Silveira, Arnaldo Marques Loureiro (in memoriam), Edson "Agnes Gold" Watanabe, Eduardo Bechara, Eduardo Garcia (EUA), Eduardo Silva, Felipe Passantino, Jaime Ballalai, Jô "Much Better" Garcia, Milton Blay (Paris), Nixon "Grimaldi" Mendonça, Porfírio Menezes, Roberto Carlos Micka, Sergio "Clackson" Christianini, Samir Abujamra.

 

Se quiser receber esta coluna
Contato

 

PPR NO FACEBOOK

Para participar clique aqui 

                     
Edição mensal - OUTUBRO/NOVEMBRO 2017                                                                                  
 

 
 

 

MENOS DO MESMO

  O PPR já nasceu diferente em 2003.

A proposta original era criar um site sobre cavalos e corridas de cavalos, mas incluindo também outros temas, como artes em geral (música, pintura, fotografia, literatura, cinema), além de moda, política, decoração e esportes, principalmente futebol. Com o correr dos anos, foram havendo mudanças pontuais, exclusões e inclusões, mas algo nunca mudou, nossa tela de abertura jamais deixou de incluir os cavalos.

Existem no Brasil diversos outros veículos que tratam exclusivamente de turfe, a maioria contando com profissionais qualificados, competentes e honestos. Para vários deles a página do Pega Pelo Rabo no Facebook abriu e continua abrindoe espaços, sem qualquer problema, afinal o que importa é a soma do trabalho de todos.

Recentemente alguns amigos me criticaram, construtivamente é claro, dizendo que tenho dedicado mais atenção e espaço para o turfe europeu do que para o brasileiro, que não faço mais aquelas coberturas como fazia antigamente dos principais eventos do turfe nacional, com indicações, concursos, fotografias, resultados e replays. Em parte isso de fato é verdade, mas o motivo é porque as entidades que promovem os eventos simplesmente pararam de me convidar, e quando digo convidar me refiro apenas a pagar o transporte e/ou a hospedagem, isto porque jamais cobrei nem 1 centavo sequer de nenhum Jockey Club para qualquer trabalho ou cobertura. Prezo demais os inúmeros amigos que fiz em Pernambuco, Goiás, Rio, Paraná e Rio Grande do Sul, mas daí a botar dinheiro do meu bolso para trabalhar, especialmente na atual conjuntura, não tem a menor condição. E se for simplesmente para assistir os eventos e trabalhar à distância, prefiro acompanhar as reportagens dos outros veículos.

Em compensação, tenho certeza que para a maioria dos meus leitores, não existe nem nunca existiu no Brasil nada igual ou parecido com o PPR, e o que me ainda dá o maior orgulho é ser o único brasileiro credenciado há mais de 10 anos pela France Galop para a cobertura e acesso ao centro de imprensa do Arco do Triunfo, também chamado de Campeonato Mundial do Puro Sangue Inglês, conforme comprova a foto abaixo bem como todas as credenciais que tenho guardadas.

Aproveitando o ensejo, mais uma vez agradeço a todos que me apoiaram para mais esta cobertura em Chantilly, especialmente ao sempre gentil amigo Sergio Coutinho Nogueira, sócio da Revista Turf Brasil, que jamais nestes anos todos deixou de me apoiar, oferecendo as prestigiosas páginas de sua publicação para que eu apresentasse meu trabalho.

Finalizando, para estimular o cérebro, manter a cognição e prevenir o Alzheimer em nossos leitores, informo que resolvi mudar a sequência habitual dos assuntos nesta edição, posicionando-os em ordem alfabética.

 Como de hábito, não deixem de acessar a página do PPR no Facebook.

 


 

'Amizade e dinheiro: azeite e água.'

(Mario Puzo)



 

Amigos

Abrimos a coluna com a foto de Arthur Tolentino da Silva, colega de ginásio no Dante Alighieri e amigo há mais de 50 anos, residente em Amparo, e Marco Antonio Vilalba, nome artístico Passoca e nome turfístico Argemiro do Bom Retiro, residente em Ribeirão Pires, grandes companheiros de viagem e turfistas muito divertidos e animados, cada qual com seu estilo e suas manias, como eu. A segunda foto, tirada em Chantilly, é de um simpático e alegre grupo de pernambucanos, composto por Márcio Uchôa, Eduardo Gusmão, Dudinha, Edualdo Pedrosa, Otavio Oliveira, Marcelo Lelis e Alberto Melo, a eles o meu abraço e prazer em conhecê-los. Nas imagens seguintes, a família Grazini dos Santos - Carlos, Juliana, Cassiano e Anah Elena - como sempre me recebeu de braços abertos e ao sabor de uma peixada à moda da casa em Eaubonne, arredores de Paris, foi ótimo revê-los. Fechando, mais uma foto da dupla Arthur e Argemiro, desta feita muito à vontade na sabatina em Chantilly.

 









Chantilly 

Chantilly é um verdadeiro paraíso para os cavalos treinarem e correrem, mas não é, como é Longchamp, um hipódromo preparado para receber evento da magnitude do Arco, embora com certeza todo o esforço tenha sido feito para propiciar a maior comodidade para todos, com a colocação de navettes (ônibus e vans) para transportar os turfistas desde a pequena gare local (estação de trem) até o hipódromo, além de montagem de espaços tipo tendas para acomodar o público, já que as arquibancadas são pequenas. Observem pela primeira foto que no sábado estava tudo tranquilo, sobrava espaço até para piqueniques e brincadeiras da criançada no gramado. Já no domingo, como vemos na segunda e terceira fotos, cada centímetro de espaço era disputado, e as mulheres sofreram aguardando na fila para usarem os toilettes. Nas imagens seguintes, a expectativa quando do ingresso dos concorrentes ao Arco no padoque, e a torcida acompanhando a corrida num telão de alta definição. 










 


 

Coisas do Brasil

O Brasil nos envergonha diariamente, mas das últimas a que me deixou mais p... da vida foi a volta deste canalha ordinário para a vida pública, ele que já deveria estar mofando na cadeia, um vagabundo igual ou pior que seus adversários, enganador de quase 50 milhões de brasileiros, entre os quais eu, que imaginavam um melhor destino para o País caso ele vencesse as últimas eleições. Diante dos últimos e lamentáveis acontecimentos, não tenho dúvida que estaríamos iguais ou até piores hoje se este safado tivesse ganho, e o pior, é capaz dele se candidatar novamente a senador ou mesmo a deputado federal em 2018 e se eleger.

 







Corinthians

Ladeira abaixo, o 'Timão' ocupa no 2º turno a 16ª posição na tabela, mas antes desta rodada tem ainda a confortável vantagem de 6 pontos na liderança geral. Os compromissos que lhe restam fora de casa são complicados, a saber: Ponte e Sport caindo, Flamengo buscando vaga na Libertadores e Atlético PR jogando tranquilo, e em casa Palmeiras, Atlético MG, Avaí e Fluminense. Por enquanto a torcida está calma, mas após a derrota para o Botafogo já rolou uma primeira 'visitinha amigável' (pela cara dos dois na foto, será que foi amigável mesmo?) da Gaviões ao CT. Se não ganharem da Ponte domingo, teremos invasão e pancadaria.


 

Direto de Paris

À espera do Messias


Numa mesma semana assistimos ao retorno da extrema-direita ao Bundestag, a câmara dos deputados da Alemanha, ao regresso do Partido da Liberdade da Áustria, neofascista, ao poder, em coalizão com os conservadores, a mais um capitulo do separatismo histérico catalão, aos referendos pró-autonomia nas regiões da Lombardia e do Vêneto. Tudo isso em uma única semana.

Por mais díspares que esses movimentos possam parecer, com suas histórias distintas, argumentos e explicações próprias, fundamentalmente são dois lados de uma mesma moeda. Cada um à sua maneira reage ao sentimento de perda de identidade e de controle da situação. Uns votam olhando para trás, outros sonham em levantar muros.

Todos, parte dos alemães como dos austríacos, catalães e italianos, deixaram de acreditar na capacidade dos governos centrais em atender às suas necessidades e anseios. Eles reagem à globalização, preferindo ficar entre si a se abrir aos outros. Confiam mais nos vizinhos que nos "estrangeiros", próximos como distantes.

A verdade é que nenhum governo, por mais competente e popular que seja, tem condições de administrar a globalização. Os grandes desafios são mundiais, logo as soluções também: crise migratória, mudanças tecnológicas, aquecimento climático, terrorismo, segurança cibernética. Vivemos em um espaço comum, onde as nações estão fortemente ameaçadas. Os partidos políticos, as instituições republicanas não respondem mais aos desafios. E as novas formas de produção, consumo, trabalho, comunicação transformam as relações sociais.

Nós, humanos, respondemos como podemos, muitas vezes como a tartaruga, que encolhe a cabeça e se esconde na carapaça para se proteger, ou como o avestruz quando se sente ameaçado, enterrando a cabeça na areia.

O modelo democrático já não satisfaz, não responde à velocidade das nossas interrogações. Mesmo se ainda é o melhor que existe.
Essa nova realidade traz como corolário o fim da solidariedade. É o que assistimos na Catalunha ou no norte da Itália. No caso de Milão e Veneza, se quer recuperar os impostos pagos a fim de investi-los em casa. Os ricos do norte não querem mais subsidiar as regiões pobres do Mezzogiorno.

Os radicais catalães idem. Sonham com um Estado próprio para parar de "ajudar" as outras regiões espanholas. Os separatistas da rica província da Flandres belga ou os escoceses, que sonham com a bonança de petróleo, fazem o mesmo raciocínio, bem como os do Sul do Brasil e da Califórnia.

Os separatistas estão convencidos de que serão mais bem governados em nível regional porque os líderes políticos estarão mais próximos dos cidadãos.

Os conflitos entre a globalização, com dezenas de acordos sendo negociados entre blocos, e o protecionismo político, social e econômico dominam - e irão dominar - os grandes equilíbrios (ou desequilíbrios) na próxima década. Serão tempos conturbados em que os comuns dos mortais se sentirão desamparados, desorientados, à espera do Messias. Tempos perigosos...

(Na foto abaixo, Blay reencontra os amigos Marcelo, Arthur e Passoca em jantar no Bistrotters.)


 

Flores

Sempre gostei de fotografar plantas, e estas em Chantilly estavam irresistíveis. A primeira foto foi tirada na passagem do padoque para a pista, a segunda no Media Center, a terceira no chapéu de uma beldade, e a quarta no centro do padoque, já com as folhas nas cores do outono.








 

Futebol

Costumo produzir as novas edições do PPR digitando sobre a edição anterior, o que me possibilita conferir como ando de palpites. Sobre a Libertadores, a última linha da edição anterior de inicio de setembro, foi: Continuo achando que o Grêmio será o brasileiro que vai mais longe e o River Plate deverá pagar placê, ou seja, estará na final. Como torcedor tricampeão entendo deste torneio...

A Copa Sul-Americana já avançou para a fase de quartas-de-final. Flamengo e Fluminense disputam uma das vagas, o time da Gávea ganhou a primeira por 1x0. Sport e Junior Barranquilla da Colômbia disputam outra, os colombianos venceram a primeira em Recife por 2x0. O Independiente já garantiu sua classificação no jogo de ida, venceu no Paraguai o Nacional local por 4x1. A última disputa é Libertad do Paraguai x Racing, os paraguaios venceram a primeira em casa por 1x0. A minha final será Independiente x Flamengo.

Sobre a Copa do Brasil vaticinei em 2 de setembro: a final Flamengo x Cruzeiro será muito equilibrada, mas fico com os mineiros. Não deu outra.

Eliminatórias do Copa do Mundo - Pelos lados da América do Sul acertei que Uruguai e Colômbia estariam dentro, as duas vagas que restavam ficariam com Argentina e Paraguai, errei o Paraguai, pois a vaga da repescagem ficou com o Perú. Pelo lado da Europa, Rússia, Bélgica, Alemanha, Inglaterra, Espanha, Polônia, Sérvia, Islândia, França e Portugal estão dentro, as quatro vagas restantes serão decididas entre Itália x Suécia, Irlanda do Norte x Suíça, Croácia x Grécia e Dinamarca x Irlanda. Pela América do Norte e Central passaram direto México, Costa Rica e Panamá, Honduras foi para a repescagem, e EUA ficou de fora. Na Ásia já garantiram vaga Irã, Japão, Coréia do Sul e Arábia Saudita, a Austrália disputará a repescagem contra Honduras. Pela África Nigéria e Egito estão classificados, Tunísia, Marrocos, Costa do Marfim, Senegal e Burkina Fasso estão na briga pelas três vagas restantes. A rodada derradeira acontece no dia 5 de novembro. A Oceania não tem vaga direta, apenas a Nova Zelândia disputará a repescagem contra o Perú.

Finalizando, o Brasileiro Série A ainda tem o Corinthians na frente, porém com apenas 6 pontos na frente de Santos e Palmeiras, e com confronto direto com o Verdão, a continuar na queda livre do 2º turno, muita água pode rolar. Na ZR, Atlético GO deve cair e 9 clubes 'disputam' as demais 3 vagas, meu palpite é que serão rebaixados Coritiba, Avaí e Vitória, e devem escapar Ponte, Chapecoense, Sport, São Paulo, Fluminense e Bahia. 

Hotel

O Kyriad Gobelins onde nos hospedamos merece ser recomendado para quem visita Paris. Excelente localização, rua tranquila, silencioso, limpíssimo, quarto confortável e banheiro perfeito com banheira, ótima relação preço/qualidade, e o que mais me chamou a atenção, o melhor café da manhã que já experimentei nos vários hotéis em que me hospedei nos últimos 12 anos na cidade. Por apenas 9 euros (R$ 36), a refeição matinal  incluia todos os tipos de bebidas quentes e iogurtes, ovos mexidos com bacon e cozidos, cereais, panquecas, salada de frutas variadas, baguetes e croissants, queijo emmental e outro variado, geléias e docinhos, incluindo macarons. Fazendo uma refeição farta como esta pela manhã, e podendo levar ainda um sanduíche ou fruta caso bata uma fome inesperada mais tarde, não almocei nenhum dia, apenas jantei, o que torna a estadia bastante mais econômica, gastando menos de 50 euros por dia é perfeitamente possível passar bem comendo em Paris, mas se o turista for almoçar e jantar e também gostar de vinhos caros, aí a conta muda de patamar. A única ressalva que faço ao Kyriad é não ter um frigobar nos quartos, que no outono e inverno é até dispensável, mas no verão e primavera faz muita falta.  


 









 



 

Imprensa

Eu já estava acostumado com o Centro de Imprensa de Longchamp, nossos leitores devem lembrar das fotos que publiquei mostrando o luxo e conforto. Já em Chantilly as instalações eram bem mais simples, embora perfeitamente suficientes e adequadas para quem estava ali a trabalho, além de dotadas de tecnologia de ponta em matéria de internet, copiadoras, material informativo, jornais e revistas, como se vê na primeira e quarta fotos. A segunda foto não é uma natureza morta como pode parecer à primeira vista, é uma salada de frutas verdadeira, e deliciosa. Na terceira foto a imprensa entrevista uma treinadora, e na quinta o pentacampeão Frankie Dettori diverte-se na coletiva após a vitória.
 










 

 

Jantar

Para abrir os trabalhos no dia da nossa chegada, o restaurante Les Négociants foi a pedida certa, tão certa que voltamos para jantar lá pelo menos mais três vezes, por conta da excelente qualidade e dos preços justos. Trata-se de um lugar animado e sempre lotado no terraço (impressionante como os jovens ainda fumam no mundo), porém com mesas disponíveis no salão interno. Neste primeiro jantar, fui no tradicional steak tartare com fritas e salada, acompanhado de um branco gelado, e de sobremesa uma delicosa mousse de baunilha e amendôas, coberta de morangos sobre um crocante palmier.








 

Livros

Os smartphones e similares viraram uma febre no mundo todo, sobre isso não resta dúvida, mas em Paris ainda se vê muita gente lendo nos vagões do metrô e trens, e lendo livros mesmo. Aqui em São Paulo, quando ando de ônibus ou metrô, o povo ou está no smartphone, dormindo (ou fingindo para não ceder lugar aos mais velhos), ou folheando estes jornalecos inúteis que são distribuídos gratuitamente nas ruas e estações.


 


 








Moda

Desta vez foi complicado fotografar aquelas mulheres elegantíssimas com bonitos chapéus, não sei se elas fizeram forfait ou estavam escondidas, mas lembro que em Longchamp sempre cruzei com dezenas, enfim. De qualquer maneira, cliquei estas 'saudáveis' e discretas funcionárias do hipódromo num momento de descanso; uma nada elegante inglêsa com um traje horrendo e ainda usando uma bolsa (?) ridícula e boné; um maluco com um chapéu (?) em homenagem ao Arco do Triunfo; uma outra inglêsa (como são mal vestidas!) com um bastante duvidoso mantô; um tipo trajando um nada discreto terno laranja que me garantiram ser um autêntico e finíssimo Orange Hermès; e para arrematar, um turfista até com um terno bem cortado, mas com uma canetinha mandrake na orelha, no melhor estilo dono de padaria, provavelmente devia ser português.

 


 













 







Noite feliz

De volta ao Brasil, exatamente para a última noturna em Cidade Jardim, quando ganhou linda e sua primeira carreira o 4 anos Jules Quick (Quick Road em Julieta, por Clackson), criação Calunga, pilotado com perfeição por V. Souza, treinado por W. Lopes, e de propriedade do Stud Rolimã do sãopaulino (observem as cores da farda) Lima Duarte, que na mesma noite assistia no Rio de Janeiro a estreia da nova novela da Globo 'O Outro Lado do Paraíso', na qual faz o papel de Josafá, casado com Mercedes (a fantástica Fernanda Montenegro), casal que vemos na foto abaixo na companhia de Laura Cardoso e Juca de Oliveira, o chamado núcleo terceira idade da novela. Cliquem aqui e vejam como venceu Jules Quick. As fotos de Cidade Jardim são de Porfirio Menezes.
 






 

Palmeiras

Recuperando-se no Brasileirão, se vencer o Cruzeiro e o Corinthians, poderá conquistar o bicampeonato. Na Libertadores 2018 tem vaga garantida.
 

Paris

Nem só de refinados bistrôs vive o visitante de Paris, por isso recomendo quando vocês estiverem passeando pelo elegante bairro do Marais, que não deixem de experimentar por 4.5 euros os deliciosos hot-dogs do Mosaïque, que fica no 56 Rue du Roi de Sicile, esquina com Rue Vieille du Temple. Ainda no mesmo bairro, uma parada na famosa e lindíssima Place des Vosges é obrigatória, eu estou por lá todos os anos. Em matéria de hipódromos então, em Paris para mim Saint-Cloud é imbatível, além de bonito é aconchegante, extremamente automatizado, e tem um padoque muito bonito como se vê na foto, aliás foi lá que Coaraze, pai de Viziane, ganhou sua mais importante corrida na década de 40. Ainda no Marais, acompanhando o amigo Arthur que almoçou numa simpática tasca portuguêsa, este buldogue roubou a cena, eram espetaculares as caras que ele fazia quando chegavam os pratos na mesa de seu dono, para quem aproveitei e mostrei uma foto da buldogue Zolla da minha filha Renata.
 




 



 

 

 

Silvestre

Nosso craque Silvestre de Souza sagrou-se bicampeão das estatísticas na Inglaterra com 155 vitórias, mais de 50 de vantagem sobre o segundo colocado. Para quem está estranhando sua ausência dos programas no momento, nosso colaborador Samir Abujamra informa que Silvestre está gozando merecidas férias, e para quem também estranha não vê-lo montando nas principais provas de grupo, isso decorre do fato dele montar como free lance, ao contrário dos demais jóqueis de primeria linha que são contratados das grandes coudelarias. Para Samir, o índice técnico de Silvestre é superior ao dos demais, eu não concordo exatamente.

Outra informação importante é sobre a campeã Enable, que tive a emoção de fotografar de pertinho (nossa tela de abertura) e de vê-la mais de perto ainda, a 3 palmos de distância. A filha da Nathaniel prosseguirá campanha em 2018, portanto não será destinada à reprodução como se especulava após sua vítória em Chantilly. Em condições normais, desde já é forte candidata ao bi, e se bobearem ao tri, façanha que Treve não conseguiu.



Santos

Jogando pouco e aos trancos e barrancos, o 'Peixe' ainda almeja o título, mas sinceramente não acredito, acho que não chega nem no G4.

 


 

São Paulo

Dizem os especialistas que o número de pontos seguro para escapar da degola é 47, mas eu acho que com 45 e dependendo da combinação de resultados até com 43 já se livra. O Tricolor está atualmente com 37 e tem pela frente uma tabela com pelo menos 3 jogos 'vencíveis' que são Bahia e Chape em casa, e Atlético GO fora, além de outros possíveis de se somar pontos como Vasco, Coritiba e Botafogo, de modo que as chances são boas de permanecer na série A em 2018. Se vencer o Santos no final de semana, com provável recorde de público do Pacaembu, assunto liquidado.

 

Tema Musical  

Nascida em New Jersey, Stacey Kent (52) iniciou sua carreira como cantora na Inglaterra, após casar-se com o saxofonista britânico Tim Tomlinson. Com uma voz miúda, afinadíssima, ela sempre foi uma admiradora da bossa-nova, inclusive esteve recentemente no Brasil dividindo suas apresentações com Marcos Valle. Stacey fez diversas versões bem agradáveis, entre elas para Les Eaux de Mars (Águas de Março, Jobim) e para So Nice (Samba de Verão, Valle) Em tempo de ressaca do Arco, essas gravação em francês, inglês e português fazem todo sentido nessa edição do PPR. (Colaborou Jô Much Better Garcia)


 


Apoio produção do Pega Pelo Rabo:

MARCELO LEFÈVRE
Consultor em RH

Currículos, entrevistas e seleção de  profissionais


Apoio divulgação do Pega Pelo Rabo:


O ponto de encontro da inteligência com a sensibilidade.